sábado, 18 de fevereiro de 2012

Philosophy as The Discipline of The Disciplines por D.F.M.Strauss.

Philosophy as The Discipline of The Disciplines por D.F.M.Strauss.





D.F.M.Strauss, Philosophy as The Discipline of The Disciplines.
715 pp ISBN 978-0-88815-208-4.


http://www.amazon.com/asin/dp/0888152078/
http://www.amazon.co.uk/asin/dp/0888152078/
http://www.loot.co.za/shop/main.jsp

This new work by Danie Strauss must now be called The Definitive Statement regarding The Philosophy of The Cosmonomic Idea. In effect, it is the New Critique for the twenty first century in that it not only covers the entire range of the fundamental ideas developed by Herman Dooyeweerd more than seventy years ago, but it does so entirely within the spirit of Dooyeweerd’s work. Strauss systematically develops a number of themes that are troublesome in Dooyeweerd’s formulation and manages to provide us with significant resolutions. Perhaps the single most important contribution to theoretical analysis as such, is his elaboration of the relationship between Conceptual Knowledge and Concept Transcending Knowledge (Idea Knowledge). This relationship is central to all forms of discrimination and is pervasively evident in the cultural traditions of both the East and the West. This work will be the starting point for systematically coherent analysis in all disciplines as Strauss convincingly makes his case that Philosophy is the Discipline of The Disciplines.

Fonte via: http://www.allofliferedeemed.co.uk/strauss.htm

Divulgação: http://luis-cavalcante.blogspot.com / http://metodologiadoestudo.blogspot.com

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Gordon H. Clark - Metodologia Bíblica

Gordon H. Clark - Metodologia Bíblica

Neste ponto, deve-se deixar claro que a metodologia da presente dissertação é bíblica. Não têm parte nela nem a teolo­gia natural derivada da ciência nem a teologia mística derivada da dita experiência religiosa. O conteúdo desta teologia proce­de inteira e somente da Bíblia.

Não é possível enfatizar demais a metodologia bíblica. A título de ilustração, supondo-se a existência de Deus, mui­tas pessoas, às vezes de modo loquaz, produzem declarações sobre ele. Os liberais, e até mesmo pastores conservadores, dizem de forma sentimental: "Deus ama todo o mundo". No meio de uma conversa, certo presbítero declarou que o hin­duísmo possui "valor redentor". A declaração não contém a palavra Deus, mas reflete a crença no que Deus é e como ele opera em nível mundial. A toda hora as pessoas fazem declara­ções sobre Deus. Portanto, o crente é obrigado a conhecer um pouco de teologia, caso contrário será um soldado ausente do posto sem permissão para isso. No jargão militar antigo, deve­mos cingir os lombos com a teologia, sem nos esquecermos da couraça da justiça e do escudo da fé, usando o capacete da salvação e portando as armas de defesa. Mas seremos inúteis se não tomarmos na mão a Palavra de Deus, com a qual começa o parágrafo. Para enfatizar a ideia fundamental e indispensável do princípio Sola Scriptura é a maneira essencial e metodológica de pensar sobre o que é lógico e religioso.

Então, se quisermos conhecer Deus é indispensável levar criteriosamente em conta a metodologia. O método usado neste livro e a teologia resultante dele são bíblicos. O princípio e a pressuposição vitais são a consideração da Bíblia como revelação divina. Nela Deus nos concede a informação que deseja que tenhamos. Nossa tarefa é coletar versículos e passagens da Bíblia, entendê-los preliminarmente e depois sistematizar o conteúdo. A menos que Deus seja irracional, não podemos nos contentar com dados desarticulados e desconexos. Entender os fatos é mais que um recurso preliminar, eles precisam ser classificados, sistematizados, organizados: "Deus não é de confusão... Tudo, porém, seja feito com decência e ordem" (1Corintios 14.33,40). Papel de parede, lata de pregos, pia de cozinha, pilha de tijolos e sacos de cimento não significam a casa bem edificada. Esses materiais têm de ser unidos de maneira lógica, se quisermos uma casa para morar. Da mesma maneira, o crente pode memorizar versículos de vários livros da Bíblia; pode conhecer o versículo mais curto e o capitulo mais longo; pode ter entendimento elementar da expiação; sim, sua mente pode ser uma confusão de materiais de construção espalhados de forma aleatória. O material de construção é indispensável, mas é melhor viver em uma casa.

Extraído do livro “Em defesa da teologia” da editora Monergismo
 
 

 

****

Em Defesa da Teologia
Preço Unitário (piece): R$33,00
R$21,45
Você Economiza: 35.00%

Pergunte sobre este produto

ENTREGA IMEDIATA!
Da primeira vez que tentei obter o livro Em Defesa da Teologia a edição já tinha se esgotado e precisei comprar, com grande custo, um exemplar usado. Alegra-me que esta excelente obra esteja agora disponível não somente em inglês, mas também na língua portuguesa. A Editora Monergismo merece elogios por apresentar os escritos de Gordon Clark a uma audiência completamente nova.

Vincent Cheung, Autor de Questões Últimas
Escrito por um dos principais pensadores cristãos de nossos dias, o livro Em Defesa da Teologia é uma avaliação bem fundamentada e totalmente equilibrada da teologia bíblica.
Ronald H. Nash, Autor de Cosmovisões em Conflito

Clark batia forte, como filósofo e teólogo. Seus escritos desmentem as contenções de alguns que alegam que filosofia e teologia não podem concordar. Antes, Clark mostra-nos que a compreensão da história da filosofia nos ajuda muito a entender as doutrinas da Bíblia e também por que são negadas tão amplamente. Este livro defende com intrepidez a proposição de que toda crença tem de se basear exclusivamente nas Escrituras....
Jay P. Green, Sr.

Ao longo dos séculos, a teologia cristã tem tido muitos oponentes, tanto cristãos como arreligiosos, cuja incredulidade varia grandemente nos detalhes, mas, ao que parece, todos se apegam a uma ideia comum: intelecto e religião são antitéticos. Este livro visa a esses oponentes da teologia cristã.
Os irreligiosos, os ateístas, acreditam que a mente pertence à ciência, a qual, segundo eles, é o método mais confiável, senão o único, para se descobrir a verdade. Os ateístas são complacentes com as fraquezas do povo religioso, desde que não reivindiquem que as suas crenças são a verdade. Verdade e teologia, segundo os ateístas, nada têm em comum.
Os oponentes religiosos da teologia cristã, os modernistas e os neo-ortodoxos concordam com os ateístas que o intelecto e a religião nada têm a ver um com o outro. A religião verdadeira, dizem eles, consiste de estados de consciência, de sentimentos de temor, mistério, dependência absoluta e da apreensão do sagrado. Esses oponentes religiosos da teologia cristã ensinam que a verdade é pessoal, não proposicional, para não dizer não bíblica. O encontro pessoal, não o entendimento nem a informação revelada verossímil, é o coração da religião.
O terceiro grupo, ao qual este livro visa, é o dos membros de igreja influenciados tanto por ateístas como por neo-ortodoxos, e que, por isso, simplesmente ignoram a teologia cristã. Eles não se opõem ativamente à teologia, como os ateístas e os neo-ortodoxos, mas consideram-na como desimportante.
O Dr. Gordon Clark apresenta a todas essas pessoas uma defesa inteligente e irrefutável da teologia cristã. Deus revelou-se em palavras organizadas em proposições lógicas. Somos obrigados a entender e a crer em tais palavras. Não há nenhuma outra maneira para se conhecer a verdade e obter a vida.
Detalhes do produto:
Título: Em Defesa da Teologia
Autor: Gordon H. Clark
Tradução: Marcos Vasconcelos
Revisão: Rogério Portella
Capa: Raniere Maciel Menezes

Formato: 14 x 21cm
Nº de páginas : 116
Miolo em papel polen soft LD 80g
Capa em Cartão Supremo 250g
Editora Monergismo
Ano: 2010