sexta-feira, 1 de abril de 2011

Como Você Pode Encontrar Gordon Clark por John W. Robbins

Eu encontrei Gordon Clark lendo um livro: Religion, Reason, and Revelation [Religião, Razão e Revelação]. Eu não me lembro o ano exato provavelmente 1970, mas pode ser que tenha sido mais tarde.

Como um estudante de pós-graduação em teoria política e filosofia pela The John Hopkins University, eu sabia que teria que escrever uma dissertação de doutorado defensível. Portanto, eu comecei a procurar uma filosofia defensível. Eu li Tomás de Aquino, C. S. Lewis e Francis Schaeffer, entre outros, mas decidi que seus sistemas não eram defensíveis. É fácil encontrar falhas em seus argumentos para a existência de Deus, e se aqueles argumentos falham, todo o sistema Tomista entra em colapso.

Eu tinha lido R. J. Rushdoony na escola secundária e na faculdade, pois ele escreveu sobre assuntos que me interessavam: política, educação e história americana. Visto que ele tinha uma grande consideração por Cornelius Van Til, eu li tudo de Van Til que pude encontrar. Isso significou viagens semi-anuais para Nutley, New Jersey, parando na 55 Beech Street para pegar Charles Craig, então um homem com seus sessenta anos, e dirigindo para o seu depósito e selecionando uma grande caixa ou duas de livros pela metade do preço Oswald Allis, B. B. Warfield, J. Gresham Machen, Herman Dooyeweerd, R. J. Rushdoony, bem como Cornelius Van Til tudo o que o Sr. Craig vendia, eu comprei.

Nenhum dos autores que li mencionava Clark muito favoravelmente. Alguns tinham escrito antes do tempo de Clark; outros o ignoravam; uns poucos faziam considerações depreciativas. Como resultado, os livros de Clark foram os últimos que eu li. Mas, como a Escritura diz, algumas vezes os últimos são os primeiros.

O ensaio de Clark sobre “Deus e o Mal” em Religion, Reason, and Revelation me convenceu que havia um homem que oferecia o que eu estava procurando: uma filosofia defensível. Ele tratou com um dos problemas mais importantes da filosofia cristã, o problema do mal, e tratou com ele de uma maneira franca, honesta, lógica e bíblica. Não havia uma flutuação retórica, nem superficialidade piedosa sobre Deus “permitindo” coisas más acontecer, nem desejo de ignorar o problema e esperá-lo passar. Eu encontrei nesse livro, em contraste com a maioria dos outros livros escritos por calvinistas professos, uma disposição para crer nas declarações da Escritura e um intelecto afiado como uma espada, exercido em defesa da verdade revelada. Eu imediatamente comecei a ler todo o restante das obras de Clark, e aprendi mais e mais sobre ele, e através dele, sobre Cristo.

Não foi senão vários anos mais tarde que eu realmente apertei a mão de Gordon Clark. Após esse encontro, percebi que seus livros soavam como sua voz: profunda, bem modulada, viva, deliberada e ponderada. Até hoje, como muitos estudantes podem atestar, alguém pode pegar seus livros e “ouvi-lo” falando.

Em Fevereiro de 1978 nossa terceira filha nasceu, e fizemos os arranjos para Clark batizá-la na igreja na qual ele servia em Lookout Mountain [Tennessee]. Três de nós viajaram para Chattanooga [Tennessee] num sábado de Maio, encontramos Clark na igreja na manhã de domingo, e ele nos levou para jantar naquela tarde. À noite ele batizou Mary Ellen Robbins.

No dia seguinte ele nos proporcionou um passeio guiado pelo campo de batalha da Guerra Civil, que ocorreu nos arredores de Lookout Mountain, e ficamos surpreendidos como um homem de 75 anos de idade podia andar tanto e tão rápido como ele o fez. Mais impressionante ainda era o seu conhecimento da Guerra; ele deu descrições detalhadas de exércitos, comandantes, tropas e batalhas. Alguém poderia pensar que história americana, e não filosofia primitiva, era o seu campo.

Durante essa viagem disse a Clark que alguns parentes, amigos e eu tínhamos estabelecido uma Fundação para publicar ensaios e livros. Ele perguntou: “Quais livros?”. Eu lhe disse: “Os seus”. Ele olhou assustado a princípio, mas à medida que discutimos o plano, ele pareceu pensar que essa era uma boa idéia. Antes de nos despedirmos, ele insistiu em me dar um cheque generoso para ajudar a Trinity funcionar.

De aproximadamente 1973 a 1985 Clark e eu nos correspondemos. Lembro-me de ter lhe perguntado no final de 1972 ou início de 1973 onde deveria tentar um emprego de ensino. Ele me avisou a não buscar um emprego numa faculdade religiosa, pois eu seria capaz de ensinar e escrever mais livremente numa escola secular privada. Presumi então que ele estava recordando sua experiência desafortunada na Faculdade Wheaton em Illinois, a qual, há mais de 45 anos atrás, desaprovou as doutrinas da graça.

Não foi senão depois de outros cinco anos que vi Clark novamente, desta vez em Colorado, onde ele ensinava durante o verão. Os anos intermediários foram preenchidos com correspondências, telefonemas e diversos livros e ensaios de Clark novamente publicados. Eu assisti a suas aulas por somente dois verões, 1983 e 1984, e o vi pela última vez sobre a Terra em Outubro de 1984. Ele era um homem extraordinário. Na providência de Deus, quando esse estudante precisou de ajuda, Clark estava ali, falando sobre Deus e o mal, lógica e conhecimento, tempo e eternidade. É minha esperança que o que eu recebi de Clark uma filosofia inteiramente defensível possa ser encontrada por outros também.

Clark não mais confina suas palestras às montanhas de Colorado, às planícies de Indiana e às colinas de Georgia. Suas classes de aula são muito mais amplas agora, e elas são oferecidas por todo o globo terrestre. Aqueles que não o encontraram pessoalmente podem lamentar por isso, mas não lamentem muito. Novos relacionamentos serão estabelecidos, assim como antigos serão renovados, no céu, o qual está há apenas na maioria dos casos uns poucos anos de qualquer cristão. Mas se você deseja conhecer Clark agora, não é tarde demais. Há mais livros de Clark impressos em 1989 do que havia em qualquer tempo durante o qual ele viveu entre nós. Se você deseja encontrar o homem, leia os seus livros.


Extraído de:

Gordon H. Clark: Personal Recollections, editado por John W. Robbins,
The Trinity Foundation , 1989, p. 95–98. Usado com permissão do autor.
— /// —

O que se segue é uma lista parcial das obras de Gordon Clark. Note que sua Introduction to Christian Philosophy [Introdução à Filosofia Cristã], Three Types of Religious Philosophy [Três Tipos de Filosofia Religiosa] e Religion, Reason, and Revelation [Religião, Razão e Revelação] estão agora combinados num único volume, Christian Philosophy [Filosofia Cristã]. Além disso, God and Evil [Deus e o Mal] está incluso no Christian Philosophy, visto que o mesmo é originalmente parte do Religion, Reason, and Revelation.

Compre os livros abaixo na The Trinity Foundation:
The Clark-Van Til Controversy (de Herman Hoeksema)

Compre os livros abaixo no





Traduzido por: Felipe Sabino de Araújo Neto
Cuiabá-MT, 10 de Julho de 2005.

Fonte: http://www.monergismo.com/textos/biografias/como_encontrar_clark.htm


Monergism Books:
 

Uma Introdução à Gordon Clark

Clique aqui para acessar o artigo:
http://www.monergismo.com/textos/biografias/Introducao_Clark_Robbins.pdf

O Agostinho da América: Gordon Haddon Clark

Clique no link abaixo para acessar o artigo:
http://www.monergismo.com/textos/biografias/agostinho_america_clark.pdf

A Necessidade de Gordon Clark

Clique no link abaixo para acessar o artigo:
http://www.monergismo.com/textos/apologetica/necessidade_clark_campbell.pdf

A Epistemologia de Gordon Clark

Clique no link abaixo para acessar o artigo:
http://www.monergismo.com/textos/filosofia/conhecimento_clark_crampton.pdf